Nómadas Digitais e a Hand2Hand

O que é isto de ser um nómada digital?

Para muitos a internet é uma oportunidade de combinar o trabalho e viagens pelo mundo. Apesar de existirem muitos tipos de nómadas digitais, a definição comum é serem pessoas que passam alguns meses do ano no estrangeiro, mudando frequentemente os seus destinos (entre algumas semanas a seis meses) e ganhando a vida através do trabalho remoto.

Muitos poderão pensar que o nómada digital pode trabalhar e viver em qualquer parte do mundo. A verdade é que nem todos os nómadas digitais têm essa possibilidade.

Tornados populares por autores como Tim Ferriss (‘’The 4-Hour Work Week’’) e outros, tornaram-se ainda mais conhecidos desde há uns anos a esta parte quando começou a florescer um ecossistema próprio – os núcleos de trabalho e os retiros de startups por exemplo, bem como numerosas comunidades que nasceram desde então (como a nomadlist.io).

Que aptidões é necessário ter?

Ao principio, poderá pensar que não existe qualquer hipótese de se juntar a um grupo de profissionais que trabalham remotamente, uma vez que o seu trabalho não segue uma linha igual à dos nómadas digitais. Talvez seja necessário focar-se numa área diferente, mas se for o caso de engenharia, do sector legal, marketing ou outras, é muito simples entrar no mundo do trabalho remoto/distribuído. No final, é sempre preciso perceber e decidir se esta mudança para um estilo de trabalho nómada vale a pena.

Será para toda a gente?

Provavelmente não. Trabalhar à distância assenta melhor em quem tem um perfil mais autónomo e uma actividade própria.
Haver uma coordenação entre si e um cliente a milhares de quilómetros de distância não é fácil, aumentando a dificuldade se a cultura e idiomas são diferentes.
Aqui a comunicação é a chave, por isso, se for um eremita, será melhor não enveredar por esta via. É preciso alinhar-se com esta ideia, para que consiga manter a noção do tempo e dos requisitos ao invés de se arrepender no instante seguinte.
Trabalhar como freelancer requer que trabalhe e monitorize tudo por si mesmo, desde o marketing até à contabilidade. Isto poderá ser esgotante e o ideal será construir/manter uma reputação forte, esperando que sejam os próprios clientes a procurarem-no para trabalho.

Prós

Esqueça o Inverno

Este ponto claramente remete, por exemplo, para os Nórdicos Europeus. Os Invernos longos e frios, com escassez de luz solar e humores depressivos, podem ser evitados se simplesmente se mudar para outro hemisfério durante os meses de Inverno. Pode ser que, eventualmente, nunca mais sinta um dia de calafrios e consiga usufruir de 365 dias de Sol. Podemos garantir, isto irá ter um enorme impacto no seu humor e estado de espirito!

Poupe dinheiro

Assim que deixar de se preocupar em pagar a renda, o condomínio ou os bens básicos para a sua habitação, subitamente verá que os seus ganhos, apesar de poderem ser do mesmo valor, tornar-se-ão mais rentáveis e poderá, assim, poupar no final de cada mês. Tirando vantagem de uma vida num país de baixo custo de vida, poderá aumentar o aforro do seu mealheiro – desde refeições a alojamento e outros serviços. Porquê gastar dinheiro numa máquina de lavar roupa se apenas a usa uma vez por semana, certo? Isso também não sairá do seu bolso. De acordo com várias experiências nómadas (por exemplo no Sudeste Asiático), conseguirá economizar até 1000 dólares por mês.

Faça o que mais gosta

Porquê esperar até à reforma para trabalhar naquilo que queria quando era mais novo? Ao tornar-se um nómada digital, poderá gerir melhor o seu tempo livre e dedicar-se ao que não consegue na sua cidade natal.

Aceite o minimalismo

Uma das consequências ao adoptar o estilo de vida de nómada digital é conseguir reduzir, ao longo do tempo, o tamanho da sua bagagem. Vai começar a entender o que realmente é importante e necessário e o que não é mais do que um peso às suas costas (literalmente). Possivelmente irá reduzir tudo aquilo que necessita a apenas uma mochila comum (e talvez meia dúzia de caixas num pequeno armazém ou na casa de um amigo). Isto não é uma questão de simplesmente não possuir algo mas mais o facto de não se tornar ligado ao que não precisa. Irá apreciar mais o que tem por aquilo que é.

Dê um impulso à sua criatividade

Por vezes alterar o seu ambiente de trabalho pode fazer maravilhas à sua criatividade apenas ao estimular os seus sentidos através de cores, sons ou texturas. Para além de que experienciar ao vivo a cooperação e interacção entre pessoas num outro país, pode inspirá-lo a novas ideias de negócio.

Faça novos amigos

Os mais introvertidos podem ter alguma dificuldade com isto, mas, rapidamente, irá ligar o interruptor e entender que deve fazer um esforço para conhecer outras pessoas durante a sua viagem. Ninguém deve ser uma ilha. E quanto mais cedo se aperceber disso, mais independente será.

Descubra novas culturas

Aprender um novo idioma no meio onde vive será o máximo onde poderá ir neste ponto. Mas tentando aprender esse mesmo idioma no local, guiado pela necessidade, irá levá-lo muito mais longe. Vendo como as pessoas de outros países aproveitam toda a sua vida, irá sentir-se impelido a fazer o mesmo, de certeza! Irá também dar muito mais valor ao que considera garantido.

Trabalhe menos/melhor

O paradigma das 9-18h, é muitas vezes um esvaziar de energias no seu corpo e na sua mente e um mau enquadramento de muitos trabalhos. De acordo com muitos estudos, após seis horas de trabalho, a sua produtividade desce drasticamente. Por isso, é possível que se veja a percorrer separadores no seu navegador e a deixar-se ir no vazio. Quando lhe pertence a si o poder de gerir os seus métodos de trabalho, irá perceber que trabalhar menos horas é não só possível, mas também mais eficaz.

Um método recente (e explicado por Tim Ferriss, na obra nomeada acima) diz também que é dado muito trabalho aos chamados ‘assistentes virtuais’. Mesmo que não enverede por este caminho, pode sempre delegar tarefas a outros colegas enquanto se concentra em vender o seu produto. Plataformas digitais como a freelancer.com e a Upwork, dão-lhe a possibilidade de alcançar o contacto de muitos freelancers à volta do mundo – para as mais variadas áreas – e construir uma equipa.

Contras

Vai querer assentar

Apesar de poder pensar que pode viajar até ao fim dos seus dias, é possível que o dia chegue em que vai ter vontade de assentar a sua vida, quer seja no seu país de origem ou algum outro lugar. Se não puser a máquina em movimento (quer seja por deter uma reputação profissional fantástica ou por deter o seu próprio negócio online), poderá ser difícil readaptar-se. Mas, como tudo, também isso deixará de ser um problema.

Se o seu objetivo é só viajar, não arrisque tudo

Trabalhar e viajar ao mesmo tempo pode ser fantástico se tiver espirito para isso mas se pelo contrário não o tiver, pode ser uma experiência muito stressante. Se a sua razão principal para se tornar um nómada digital é viajar, talvez seja melhor apenas pôr a mochila aos ombros e viajar durante um ano, arranjando pequenos trabalhos aqui e acolá e não se metendo no ecossistema nómada.

Como Poderei Começar?

1. Defina a sua estratégia de viagem. Planifique como tenciona cobrir as suas despesas enquanto trabalha e tenha uma qualquer segurança de um fundo de emergência.
2. Entre em contacto com outros nómadas e apareça em eventos! Trabalhe com outros! Com o intuito de ser bem sucedido, precisa de se colocar em boa posição para atingir os seus fins. Não subestime o factor humano. Relacionar-se com outros pode ser a chave do seu sucesso.
3. Crie uma presença online (pelo Twitter, LinkedIn, o seu website, etc.) e, se possível, um portfolio do seu trabalho (Dribbble, se o seu campo for o design, GitHub se a sua área for o desenvolvimento de software, etc.).
4. Crie um blog e partilhe as suas dicas e conhecimentos com outras pessoas. Construa uma reputação.
5. Entre em plataformas como a freelancer.com, Upwork ou outras.
6. Se possível, colabore com outros companheiros nómadas com quem possa complementar as suas habilidades. Divida fraquezas, multiplique a força.

Acima de tudo, faça acontecer.

Acha que não tem habilidades? Não se preocupe – experimente a Hand2Hand.

A Hand2Hand traz uma nova forma para os nómadas digitais assentarem uma base de vendas e conseguirem assim uma outra fonte de rendimento. Alguém pode querer obter um produto local específico e requisitá-lo através da Hand2Hand, apresentando um preço-base. Assim, só terá que usar o seu enorme poder de regateio (Regateando o Caminho Para o Lucro) para aumentar a sua margem. Ou poderá apenas usar o método mais simples licitando um produto já requisitado para um dos seus destinos. Levante o artigo onde for preciso e traga-o consigo. Mas primeiro tenha a certeza que pode passar a fronteira ou sair do país com esse mesmo produto!

Descarregue a aplicação Hand2Hand e preencha o seu perfil. De seguida insira o seu itinerário de viagem. Nesse momento, ser-lhe-á possível ver todos os artigos pedidos que partilham o mesmo destino. Do que está à espera? Nunca foi tão fácil viajar e lucrar ao mesmo tempo!

Siga-nos no Twitter e no Facebook e envie-nos as suas opiniões e sugestões!

Fique bem,
a equipa Hand2Hand

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *